Marcas da Guerra da Restauração nas Misericórdias portuguesas de fronteira: artigo online

Vila Viçosa

Um interessante artigo de Maria Marta Lobo de Araújo, disponível online, publicado em MILLÁN, José Martínez, e LOURENÇO, Maria Paula Marçal (dir.), Las Relaciones Discretas entre las Monarquías Hispana y Portuguesa: Las Casas de Las Reinas (siglos XV-XIX), Madrid, Ediciones Polifemo, 2008.

Imagem: Planta de Vila Viçosa, publicada em La memoria ausente. Cartografia de España y Portugal en el Archivo Militar de Estocolmo. Siglos XVII y XVIII.

Advertisements

2 thoughts on “Marcas da Guerra da Restauração nas Misericórdias portuguesas de fronteira: artigo online

  1. Ambos muito interessantes. Especialmente a planta de V. Viçosa!
    Na minha tese de mestrado vou estudar azulejaria, datada do primeiro quartel do século XVIII, que parecem representar cenas de bélicas, do século XVII (pós – Restauração). Podia-me indicar, se não for pedir muito, alguma bibliografia que conheça sobre esse período, mais concretamente sobre o vestuário e armamento da época?

    Cumprimentos
    JM

  2. Caro JM,

    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Em relação à sua questão, devo dizer que não existem muitas monografias sobre uniformes e armamento do exército português do início do século XVIII. As seguintes obras poderão ser úteis:

    LOPES, Carlos da Silva – “Contribuição para o Estudo dos Uniformes Militares Portugueses desde 1664 até 1806″, in Documentos e Memórias para a História do Porto – XXIX: Exposição Histórico-Militar, em Homenagem a Mouzinho de Albuquerque, no 1.º Centenário do seu Nascimento, Porto, Publicações da Câmara Municipal do Porto, Gabinete de História da Cidade, 1958.

    RODRIGUES, Manuel Ribeiro – 300 anos de uniformes militares do exército de Portugal, Lisboa, Sociedade Histórica da Independência de Portugal, 1998.

    Para o período da Guerra da Sucessão de Espanha, será útil consultar BORGES, João Vieira – Conquista de Madrid, Lisboa, Tribuna da História, 2003.

    Apesar de datada, não será de desprezar a obra do general Ferreira Martins, História do Exército Português, Lisboa, Editorial Inquérito, 1945.

    Não resisto a apontar uma curiosidade sobre azulejaria de temática bélica do século XVIII. O Palácio dos Henriques em Estremoz (mais conhecido por Palácio Tocha) apresenta, no seu salão central, painéis de azulejos alusivos às batalhas da Guerra da Restauração – daí ser esse salão conhecido por”Sala das Batalhas”, como a do Palácio dos Marqueses de Fronteira, em Lisboa. No entanto, os uniformes e armamento ali representados são do século XVIII, com um ou outro pormenor mais fantasista (por exemplo, cimitarras), nada tendo em comum com o material bélico do período da Guerra da Restauração.

    Espero que as indicações que aqui lhe deixei possam ser úteis.

    Com os melhores cumprimentos,

    Jorge P. de Freitas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s